Conheça Nossos Produtos

Somos a ponte entre você e os melhores investimentos do mercado.

E, para investir o seu dinheiro com segurança, é preciso primeiro conhecer não só o seu perfil investidor, mas também as particularidades de cada produto.

Preparamos o guia abaixo com diversas informações para ajudar você em sua escolha. Conte conosco, invista de maneira correta obtenha ótimos resultados.

Se preferir, fale com um de nossos Assessores!

Invista Na Bolsa

A taxa de custódia é zero e possui as melhores plataformas gratuitas. A Bolsa de Valores negocia títulos emitidos por empresas de capital público, misto ou privado. Quando dizemos que uma empresa é aberta significa que seu patrimônio foi dividido em diversas cotas, ou seja, as ações.

 

A ação é a menor parte do capital de uma empresa e quem compra se torna um investidor ou sócio dela. As vantagens de ter ações são inúmeras, como um grande potencial de rentabilidade a longo prazo, investimento inicial baixo e a possibilidade de acompanhar tudo diariamente e online.

O COE é estruturado com base em cenários de ganhos e perdas, selecionados de acordo com o perfil de cada investidor. É a versão brasileira das Notas Estruturadas, muito populares na Europa e nos Estados Unidos. É montado através da combinação de um título de crédito emitido por uma instituição financeira com estratégias em derivativos.

 

Ao criar o COE, o emissor estrutura pacotes de cenários para o desempenho de um ativo ou indexador, que pode ser tanto nacional como internacional. O COE é sempre emitido por um banco e registrado na Cetip.

 

MODALIDADES:

Valor Nominal Protegido: quando há garantia do valor principal investido.

Valor Nominal em Risco: quando há possibilidade de perda até o limite do capital investido.

Fundos Imobiliários

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) são formados por investidores que querem aplicar em negócios imobiliários, desde o desenvolvimento de algum empreendimento até imóveis prontos, obtendo retorno pela exploração desses locais, seja alugando, arrendando, vendendo, etc. 

 

Investidores compram cotas e tornam-se um dos donos do empreendimento imobiliário. Alguns fundos imobiliários possuem imóveis de ramos diferentes, como um hospital e um shopping, por exemplo, permitindo maior diversificação. Alguns fundos também contam com isenção de IR.

Fundos De Investimentos

Os Fundos de Investimento são um conjunto de investimentos diferentes, em um mesmo pacote, em que cada investidor pode comprar uma cota. O gestor do fundo poderá montar a carteira com Ações, Títulos, Derivativos, Commodities, Moeda, etc.

 

A vantagem dos fundos é a possibilidade de acessar alguns ativos que são mais restritivos se comparados a quando está investindo sozinho. Além disso, todas as taxas cobradas, como as administrativas, por exemplo, são divididas proporcionalmente entre os investidores daquele fundo.

Renda fixa

As opções de aplicação em ativos de renda fixa são diversas, muitas com a mesma garantia da poupança, mas, rentabilidade superior. Alguns títulos são também isentos de imposto de renda.

Os CDBs, LCIs e LCAs são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos) para aplicações de até R$ 250 mil por instituição financeira. Já o Tesouro Direto permite aplicações desde R$ 30,00 até R$ 1.000.000,00 por mês.

LCI (Letra de Crédito Imobiliário)

A Letra de Crédito Imobiliário é um título emitido pelos bancos e entidades autorizadas pelo Banco Central, com o objetivo de captar recursos para aplicá-los especificamente no financiamento do setor imobiliário. Com isenção de Imposto de Renda e garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), a LCI é uma ótima opção para aproveitar a alta de juros. Os LCIs são papéis lastreados por créditos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária de imóveis. São títulos de renda fixa que podem ter rendimentos pré-fixados ou pós-fixados.

 

Pela forma de cálculo da remuneração, a LCI proporciona ao aplicador ganhos maiores do que os da poupança ou de fundos DI, além de ter rendimentos isentos de imposto de renda para pessoas físicas e contar com a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos, até o limite de R$ 250 mil por CPF e emissor.

LCA (Letra de Crédito Agronegócio)

Com rendimentos isentos de imposto de renda e garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos, a Letra de Crédito Agronegócio é um ótimo negócio. Criada para incentivar o desenvolvimento da cadeia produtiva agrícola e pecuária, LCA é um título emitido por bancos e entidades autorizadas pelo Banco Central, com o objetivo de captar recursos para aplicá-los especificamente no financiamento de empréstimos para o agronegócio. São títulos de renda fixa que podem ter rendimentos pré-fixados ou pós-fixados.

Pela forma de cálculo da remuneração, a LCA proporciona ao aplicador ganhos maiores do que os da poupança, além de ter rendimentos isentos de imposto de renda para pessoas físicas e contar com a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos, até o limite de R$ 250 mil por CPF e emissor.

CDB (Certificado de Depósito Interbancário)

O Certificado de Depósito Bancário é o título emitido pelos bancos para a sua própria capitalização. Através do CDB, o banco capta recursos no mercado para financiar suas atividades de crédito como empréstimos, financiamentos etc. São títulos de renda fixa que podem ter rendimentos pré-fixados ou pós-fixados.

 

Investir em CDBs é uma ótima alternativa com a alta dos juros. Para grandes ou pequenos valores, curto, médio ou longo prazo e garantia do FGC até R$ 250 mil por emissor. Pela forma de cálculo da remuneração, o CDB proporciona ao aplicador ganhos maiores do que os da poupança ou de fundos DI, além de contar com a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos, até o limite de R$ 250 mil por CPF e emissor.

Tesouro Direto

(Texto por: Gabriel Tolesani)

 

Títulos emitidos diretamente pelo governo federal.

Taxa zero de custódia.

Investimento garantido pelo Tesouro Nacional.

Liquidez diária.

Há uma grande diferença entre poupar e investir em poupança.  Poupar é o processo de acumulação de valores para serem usados no futuro. Ao passo que a poupança é o investimento mais popular do país, cerca de 89% dos investidores brasileiros utilizam essa aplicação mesmo sendo um dos investimentos com rendimentos mais baixos entre todos os de renda fixa.

Mas então, por que tanta gente ainda investe na poupança? Talvez por poder sacar a qualquer momento, pela segurança ou até por uma questão cultural.

Todas essas razões podem ser válidas, porém existem outras alternativas para os investidores que procuram características similares em um investimento e uma rentabilidade maior em que possam guardar suas economias.

Entre as alternativas, o Tesouro Direto ganha em rentabilidade, segurança, liquidez e praticidade.

O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional do Brasil concebido em 2002 em parceria com a B3 (antiga BM&F Bovespa) para venda de títulos públicos federais que podem ser comprados por pessoas físicas. O objetivo desse programa é democratizar e facilitar o acesso de todos aos títulos públicos.

Investir no Tesouro Direto é comprar de um título público. Isso significa que você está emprestando dinheiro para o governo para o financiamento do Déficit Orçamentário Geral da União e da Dívida Pública Federal.

O Tesouro Direto oferece investimentos conservadores de renda fixa, ou seja, você conhece o seu rendimento no momento da compra, ao contrário de investimentos de renda variável (como ações) que não permitem uma estimativa aproximada do retorno no momento da compra.

Os títulos emitidos pelo Tesouro Direto são: Tesouro Prefixado, Tesouro IPCA e Tesouro Selic.

Investir em programas do Tesouro Nacional não é exclusividade do Brasil. Existem outros países, além do Brasil, que possuem programas de investimentos semelhantes ao Tesouro Direto. Nos Estados Unidos, por exemplo, o programa tem até o mesmo nome (Treasury Direct).

Rentabilidade: O Tesouro Direto oferece rentabilidade real acima da inflação que segue a principal taxa de juros do Brasil, a Selic. Mesmo com a tributação sob os lucros e a taxa de custódia que caiu para 0,25% ao ano cobrada pelo próprio Tesouro Direto e pela B3, o rendimento do Tesouro ainda na grande maioria dos casos é melhor do que o da poupança.

Segurança: Vale lembrar que o Tesouro Direto oferece os investimentos de maior segurança do Brasil. Mais seguros do que investimentos de renda variável, renda fixa privada e inclusive a poupança. Isso porque o Tesouro Direto é um investimento soberano.

Liquidez: Possibilidade de saque diário com rendimento proporcional, através do Tesouro Selic. Por outro lado, a poupança tem data de aniversário e mesmo podendo sacar a qualquer momento a aplicação só rende a cada 30 dias, ou seja, se você colocar um valor hoje e sacar daqui 29 dias o seu dinheiro não vai ter rendido um centavo sequer.

Praticidade: Todo processo para investir no Tesouro Direto é feito por meio da internet e os títulos públicos são negociados apenas escrituralmente, isto é, não existe um documento físico que representa o título. Os títulos públicos permitem aplicações com apenas R$ 30. Para isto, basta abrir uma conta em uma corretora, escolha uma que não cobre taxas adicionais. Em seguida, faça um cadastro no site do Tesouro Direto e após receber uma senha provisória no seu e-mail, defina uma nova senha e escolha um título com o seu assessor de investimentos para efetuar a compra.

Top